quinta-feira, 29 de julho de 2010

VOLTA ÁS AULAS COM MUITA ANIMAÇÃO

Agora que as férias acabaram, é hora de preparar os filhos para voltarem a acordar cedo, sem chororô!

Texto

Daniella Gallotto




Acabou a farra mas a volta às aulas tem que ser alegre

Tudo bem que as férias de julho são mais curtinhas. Mas, mesmo assim, é comum que seu filho esteja ansioso, que pense se os amigos continuarão unidos, se conseguirá melhorar as notas até o final do ano. E, quando a escola é nova, então, tudo é mais aflitivo - tanto para as crianças quanto para os adolescentes, que deixaram a turma em outro lugar e têm medo de não serem aceitos pelo novo grupo.

Para ajudar seu filho a tirar tudo isso de letra, confira as lições de profissionais da educação e fique tranquila. "A escola é o melhor lugar para seu filho estar. Lá, ele conquista independência e autonomia", garante a pedagoga Rita Arruda, da Escola Árvore da Vida, em São Paulo. Então, ajude seu filho agora e durante toda a vida escolar.

*Esta reportagem faz parte do Projeto Educar Para Crescer

Para ler, clique nos itens abaixo:


7 dicas para driblar o corpo mole de seu filhote e ajudá-lo a retomar a rotina:

- Diga palavras de incentivo

Nada de contar a seu filho experiências ruins que você teve na época da escola. Incentive-o, falando sobre as aulas que achava legais, os amigos e as descobertas.

- Ajude-o na adaptação

É preciso um período de adaptação - ou readaptação -, principalmente se ele for pequeno. Você deve passar um tempo na escola com ele. "Se não puder, mande a avó, a tia ou alguém em quem a criança tenha confiança", aconselha Rita.

- Acredite na escola

Conhecer a direção e ter confiança no colégio fazem seu filho confiar também. Mas, se passar alguns meses e ele não se adaptar mesmo, não insista. "Isso pode atrapalhar o aprendizado", alerta a psicóloga especializada em educação, Sidilene Lima.

- Seja firme

Por mais que seu filho choramingue, não queira acordar cedo e sinta falta das férias, não ceda. "A adaptação à rotina depende da postura dos pais", explica a pedagoga.

- Não mostre pena

Faça ele o berreiro que for, não mostre que está com pena. Ou ele pode fazer chantagem. "Deixá-lo faltar um dia porque ele está mal, tudo bem. Mas faltar demais pode atrapalhar o rendimento", diz a psicóloga.

- Ouça o que seu filho tem a dizer!

Se ele ficar ansioso demais nos primeiros dias e isso interferir no sono ou no apetite, não se desespere. O melhor é conversar com ele. "Pergunte ao seu filho se ele está enfrentando dificuldades na escola, ouça o que ele tem a dizer com carinho e dê toda a atenção necessária", aconselha Sidilene.

- Oriente bem os adolescentes

Se ele vai trocar de escola no meio do ano, fique atenta e dê a ele uma dedicação especial. Ele pode ficar preocupado se fará amigos, se os professores são legais e como vai ser a nova vida escolar. Respeite esse momento de transição de seu filho. Chegar no meio do ano, com os grupinhos já formados, é um desafio, sim. Mas pense que isso é um aprendizado, pode ser bom para que ele apA escola do seu filho está sendo a ideal?

A pedagoga Rita Arruda aponta cinco perguntas que você deve fazer para saber se está satisfeita com o colégio do seu filho. Anote-as e evite deixar seu pequeno em uma cilada

- O colégio está cumprindo o que prometeu na matrícula?

Se a escola fez várias promessas na entrevista, e você tem observado que não as cumpre, procure a direção para reclamar. Você tem direito de reivindicar o que foi prometido.

- O ensino da escola bate com o que eu penso?

Preste atenção nos profissionais que trabalham no local, e, principalmente, se as ideias nas quais a escola acredita batem com as suas. Já deu tempo para perceber isso. Você sabe o que quer para seu filho, e o ambiente no qual ele vai passar boa parte da vida tem que oferecer o mesmo.

- A infraestrutura do lugar é boa?

Salas espaçosas, mas não numerosas. "Se tiver muitos alunos por classe, as crianças ficam agitadas e o professor não consegue perceber as necessidades de cada uma", garante Rita.

- O professor sabe ouvir os alunos?

Observe se ele é pouco carinhoso, e se não tem o costume escutar os alunos com dúvidas. O professor tem que saber discernir quais as dificuldades da criança e procurar, ao máximo, escutá-la, entendê-la e orientá-la.

- A escola demora muito para me atender?

O contato com os pais é fundamental. Se você quer marcar uma reunião e o colégio ignora os seus pedidos, fique atenta. A boa coordenação está sempre disposta a atender os pais rapidamente

Nenhum comentário:

Postar um comentário